Sobre a Constelação Familiar de Terça feira – dia 16/05

constelação-familiar-terça-feira-16-05

Sobre a Constelação Familiar de Terça feira, dia 16/05 com o tema de “Relacionamentos Amorosos”.

Primeiro de tudo e antes de mais nada Gratidão!
Gratidão pela vida, gratidão pelas oportunidades, gratidão por existir.
Gratidão por desempenhar o meu papel, papel de ser eu mesma, nas mais diversas versões.

Obrigada Pai pela vida.
Obrigada Mãe pela vida.
Hoje é o dia do meu aniversário, agradeço a vida que veio através de vocês.

E agora faço bom uso do que eu recebi.

Como se sabe a Constelação Familiar vem sendo repercutida no mundo todo sob os mais diversos temas. Nessa semana trabalhamos o tema “Relacionamentos Amorosos”.


Os relacionamentos amorosos é que dão origem a todos nós, sendo eles “perfeitos” ou não.

Através dessas uniões que o fluxo da força e do amor são capazes de gerar vida. Com todos os seus encantos e desencantos que fazem parte de uma jornada.

Muitas famílias vivem bem desde o começo, outras nem tanto, e outras nem chegam a conviver juntas. E por causa destes desajustes é que se chegam muitos casos aos tribunais. Casos que, aparentemente se resolvem na frente de um juiz. Mas que lá na frente continuam seus conflitos por trás dos bastidores, influenciando a todos.

constealção familiar no fantástico

JUÍZES USAM TÉCNICA DA CONSTELAÇÃO PARA RESOLVER CONFLITOS NOS TRIBUNAIS

Reportagem da Rede Globo no Fantástico do dia 14/05/2017 


A mãe introduz a criança nessa vida. Ela é o modelo do servir, servir a família, vai aos poucos fazendo o desligamento desses dois corpos, criança-mãe. Elo muito grande de sobrevivência de um ser indefeso. Porém cheio de força e de informações de gerações contidos nas suas células, no seu DNA. Esta mãe influencia a criança, em diversos aspectos, na relação com o alimento, com o bem-estar, com o acolhimento, amorosidade.

O pai, representa a coragem de ir para o mundo e enfrentar a vida, a coragem de nos levar para o mais. É geralmente o pai que consegue ampliar a zona de conforto e segurança que a mãe coloca a princípio, esta abrangência do pai interfere diretamente no quanto conseguimos sustentar o sucesso, quanto conseguimos fazer este sucesso crescer, expandir e também permanecer.

E a vida com todas as suas surpresas exige deste casal, desta nova família um estado de presença para desfrutar os dias, porém nem todos estão disponíveis sempre. E esta indisponibilidade se dá por vários motivos, onde as heranças familiares advindas de emaranhamentos trazem mais surpresas e enigmas que a nossa mente pode conceber.

Há algo “oculto” aos nossos olhos, guardados no nosso inconsciente, numa espécie de nuvem contida de informações de muitas gerações, em cada lado da família (lado do pai e lado da mãe). Ao entrarmos no “campo” desta família acessamos todos esses conteúdos que não conseguimos ver, é um campo morfogenético.

Morfo vem da palavra grega morphe=forma, genética vem de gêneses = origem. Os campos morfogenéticos são campos de forma, de padrões, estruturas de ordem. Estes campos organizam além dos campos de organismos vivos os dos cristais e moléculas. Cada tipo de proteína, molécula tem o seu próprio campo mórfico – ex. hemoglobina, insulina, etc. Assim, cada tipo de cristal, organismo, tipo de instinto ou padrão de comportamento tem o seu próprio campo mórfico. Estes campos são os que ordenam a natureza, são muitos os tipos de campos e padrões contidos na natureza.

Acessar informações da Constelação Familiar

Ao acessarmos este campo morfogenético, encontramos situações surpreendentes que explicam como os emaranhamentos estão refletindo na vida desta família que está sendo constelada.

Muitas vezes vemos numa família, geração após geração uma repetição de padrões, alguns acontecimentos desastrosos, com muitas brigas, desafetos, interrupções, doenças, falências, abandonos, desencontros, traições, vinganças, isso se dá por uma desorganização, em relação as três leis e podem ser percebidas ao acessarmos este campo.

Alguns acontecimentos nos dão a dica de haver uma possível exclusão ou exclusões de membros e alguém está tentando “inserir” esses membros esquecidos/excluídos anteriormente.

Ou quando uma criança tenta “estancar” a dor de um pai ou uma mãe, a fim de impedir que estes sofram ou muitas vezes morram. É um amor que adoece. Não resolve.

foto_constelação familiar_16Mai2017_2

foto_constelação familiar_16Mai2017_3

foto_constelação familiar_16Mai2017_1

Para se colocar num outro percurso é preciso “organizar” este sistema. Primeiro percebendo o que está oculto e respeitando as dores, tudo que foi ocorrido sem julgar. Uma das frases de solução que gosto muito, para aceitar e respeitar o que já passou, é “Foi como foi”.

Através de 03 leis é possível ajudar o sistema fluir com a vida.

  • Hierarquia
  • Equilíbrio entre o dar e o receber
  • Pertencimento

Com o conhecimento destas leis, é possível “organizar” este sistema familiar.

E foi através da filosofia Hellingueriana, deste conhecimento que o Juiz Sami Storch, pôde auxiliar várias pessoas da comarca Amargosa, na Bahia,  a se reconciliarem.

Em casos onde se há muito afeto e muita proximidade, mais difícil se torna a dissolução do conflito “A solução não cura tudo de uma vez, mas facilita a reaproximação entre as pessoas que eram próximas, unidas, e brigaram. Nesses casos, a decepção é maior, a dor da separação foi maior”

Isso num momento em que o Brasil passa por uma reformulação no judiciário, através da Resolução 125, é obrigatório antes de se iniciar um processo, que as partes tenham sessões de conciliação e/ou mediação para que possam, através de técnicas de soluções de conflitos, se ouvir e repensar o que levaram a chegar neste momento de ruptura e pedir ajuda a outras pessoas, advogados e juízes para resolverem e sentenciarem suas vidas.

Fora percebido que os casos não acabavam, sobrecarregando o judiciário. Muitas vezes os reais motivos não eram expostos, portanto não podiam ser sempre percebidos e muito menos acolhidos. Mas este juiz como já tinha o conhecimento das Constelações ele podia ver com clareza alguns indícios dos emaranhamentos e resolveu utilizar esta abordagem terapêutica, na comarca onde atuava e comprovar os resultados positivos.

E estes resultados incríveis com estas famílias, que tocavam profundamente cada ser ali presente, uma profundidade transformadora que desatavam os emaranhamentos daquelas famílias, aliviando os seus sofrimentos. E esta transformação foi se alastrando e por ressonância pode ir contagiando mais e mais pessoas.

A Constelção Familiar na prática

Ao fazermos uma Constelação é possível perceber a transformação pelo olhar, a fisionomia muda, muitas vezes na hora, muitas vezes um bom tempo depois. Tem-se a informação que o seu alcance pode ser de aproximadamente dois anos após a sua aplicação.

Todos aqueles que estiverem abertos podem receber esta força curativa. Aqueles que participam da Constelação de uma outra pessoa, chamamos de Representantes, estes muitas vezes “pegam carona” na Constelação e também se curam.

Costumo fazer Constelações ocultas para que o processo mental/intelectual não interfira negativamente no andamento, assim as pessoas podem entrar com mais profundidade no inconsciente e trazer o que de fato a mente não estava permitindo, por defesa, que fosse mostrado para ser finalmente curado. A dor de reviver, de sentir novamente algo tão doloroso, traz um distanciamento da própria cura.

E ao revivermos, sem precisar pensar que vai ser sentido, algo se liberta, algo se transforma. E o amor, a gratidão pode voltar a fluir.

Assim que a nossa Constelação de terça-feira se fez. Com muito respeito ao Constelado, a sua família e aos representantes que muitos puderam experimentar uma reaproximação com a própria essência. Seus antepassados se foram, mas deixaram em cada um uma semente, semente que poderá ser plantada com força de existir.

E ao revivermos, sem precisar pensar que vai ser sentido, algo se liberta, algo se transforma. E o amor, a gratidão pode voltar a fluir.

O Equilíbrio entre o dar e o receber

Diferente da relação entre pais e filhos, que tem a ver com a primeira lei, hierarquia, os nossos pais vieram primeiro, tem precedência sobre nós, o equilíbrio entre o dar e o receber, coloca o casal numa posição de igualdades, um dá e o outro recebe, depois o outro dá e o outro recebe, e assim vai sendo construída uma relação. Quando este equilíbrio está desbalanceado, a relação se estremece, os filhos sentem e sofrem com o resultado, levam isso para outras gerações, e muitas vezes buscam seus pais, (aquilo que não receberam dos seus pais) nos seus conjugues.

Aceitar os pais como são e tomar o amor a força e a vida que recebeu através deles, ajuda a construir uma relação à dois mais sadia. Mais equilíbrio ajuda repassar aos filhos, a força e o amor, para que esses passem a seus filhos e assim sucessivamente de geração em geração.

Dessa forma, para que haja relacionamentos duradouros, é importante realmente haja o equilíbrio entre o dar e o receber. Que essa lei seja respeitada! É importante prover o melhor ao outro e se permitir receber o mesmo para que haja equilíbrio. Nunca mais e nem menos.

Foi assim que a nossa Constelação de terça-feira, dia 16/05, se fez. Com muito respeito à pessoa que foi constelada, à sua família e aos representantes. Muitos puderam experimentar uma reaproximação com a própria essência. Seus antepassados se foram, mas deixaram em cada um uma semente, semente que poderá ser plantada com força de existir.

Que tal continuar a sua vida…

  • Prosperando e sendo feliz?
  • Honrando a vida dos seus antepassados, vivendo a sua com a dignidade que lhe pertence?

Gratidão por tudo que recebi e por tudo que ainda receberei.


Quer saber mais sobre a Constelação Familiar?