Reclamar faz mal à saúde

patricciadelucca_reclamar faz mal à saúde

Reclamar faz mal à saúde

Estamos acostumados a relacionar a saúde com bons hábitos alimentares, exercícios físicos, consultas médicas periódicas e bem-estar, mas raramente prestamos atenção aos nossos pensamentos que podem acionar os sintomas psicossomáticos em nosso organismo.

Podemos acreditar que nossos pensamentos não são prejudiciais à nossa saúde, porque não o infligimos fisicamente, mas estudos recentes revelam que quando estamos tensos e nervosos tendemos a habituar o nosso cérebro à tensão e ao nervosismo, acumulando emoções que nos levam a desenvolver sintomas físicos. É o que acontece quando reclamamos demais.paricciadelucca_reclamar faz mal à saúde_2

O hábito de reclamar é prejudicial à saúde porque habitua o cérebro a um estado tal, que sempre estará disposto a reclamar, pois, o pensamento gera um ciclo de negatividade persistente.

Se prestarmos atenção, quando reclamamos liberamos energia negativa relacionada à raiva, frustração, receio, desentendimento, medo e estresse, que forçam o nosso organismo a gerar e liberar um hormônio chamado cortisol. Este hormônio é prejudicial porque pode alterar o bom funcionamento do coração, enfraquecer o sistema imunológico, aumentar o colesterol e desencadear uma série de problemas relacionados ao sangue e ao coração.

Mas não é somente a pessoa habituada a reclamar que pode vir a adoecer, as pessoas que são obrigadas a conviver com os reclamões, também tendem a desenvolver sintomas relacionados ao estresse e ansiedade, por empatia. Ou seja, a pessoa habituada a reclamar pode estar prejudicando as pessoas mais próximas dela, além de si mesma.

Uma maneira de eliminar a reclamação do nosso dia a dia, é buscar remodelar o nosso cérebro de modo que passemos a evitar este hábito.

Como reclamar menos

patricciadelucca_reclamar faz mal para saude_1Para que possamos reclamar menos é importante reconhecer que reclamamos. Este pode ser um passo um tanto difícil, já que o cérebro acostumado tem dificuldade em reconhecer os próprios padrões de vício, então, convém acreditar nas pessoas que te disserem que você é muito baixo-astral, pessimista, ou reclamão, para dar início à mudança.

Observe também, se as pessoas com quem você convive costumam reclamar demais das eventualidades do dia. Afaste-se delas para que não sofra por empatia, ou acabe desenvolvendo o mesmo problema.

Preste bem atenção nas palavras, as palavras ditas ou ouvidas, carregam uma carga que pode afetar você negativamente. Se ao acordar o dia estiver nublado ou frio, não reclame, agradeça por estar vivo. E se precisar levantar da cama neste dia para trabalhar, ao invés de se sentir frustrado e com raiva, prefira ser grato por ter um emprego.

A pia está repleta de louças porque a família teve o que jantar. Aprender a ser grato é uma forma de vencer este desafio.

Se sentir que precisa de ajuda para mudar o modo como pensa ou age no seu dia a dia, não relute em solicitar um especialista. O especialista será capaz de desenvolver um método eficaz para ajudar você a reconhecer este padrão mais profundamente, e atuará de forma a transformar o modo como pensa sem desenvolver algum trauma ou excesso de culpa.

Quando cuidamos de nós mesmos estamos cuidando de todos à nossa volta.


Patricia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.